Processos

Processo por arco plasma – Equipamentos

Equipamento

A soldagem por arco plasma pode ser feita manualmente ou por meio de máquinas, com algumas adaptações. Os dois processos são amplamente utilizados e podem ser empregados em qualquer posição. O equipamento consiste de fonte de energia, sistema de abertura do arco, tocha de soldagem plasma, cilindros de gases e sistema de controle.

fonte de energia

A fonte de energia utilizada é de corrente constante, podendo ser retificador, gerador ou inversores, utilizando-se corrente contínua e polaridade direta. As fontes para soldagem plasma diferem das de corte, porque no corte a tensão em vazio do equipamento deve ser superior a 200V. Fontes com tensão em vazio entre 65V e 80V podem ser adaptadas para soldagem com a colocação de sistemas de abertura de arco piloto, pré e pós vazão.

gerador de alta frequência

Para abrir o arco utiliza-se um gerador de alta frequência para estabelecer um arco piloto. No caso de trabalhar com arco transferido, usa-se geralmente o arco piloto, que necessita de uma fonte auxiliar de energia de baixa capacidade para a alimentação.

tocha

A tocha serve para fixar o eletrodo de tungstênio e direcionar o arco elétrico; é provida de um punho para o manuseio do soldador, um conjunto de pinças para a fixação do eletrodo, condutos para passagem de gás e água de refrigeração, um bico de cobre com o orifício para a constrição do arco elétrico e um bocal de cerâmica para isolação e proteção do operador.

Em uma tocha de plasma, a ponta do eletrodo é recolhida em um bocal, através do qual o plasma flui. O gás ioniza-se ao passar pelo arco elétrico formando o plasma, que é a dissociação das moléculas em átomos e estes em íons e elétrons. O gás aquecido dentro do bocal sofre um enorme aumento de pressão e, por ter de sair através de um pequeno orifício, adquire altas velocidades, da ordem 6 Km/s, acentuando o fenômeno de dissociação.

Algumas tochas têm somente um orifício central para a passagem do gás e do arco; outras possuem outros orifícios para a passagem do gás auxiliar, permitindo maiores velocidades de soldagem.

o diâmetro do orifício central deve ser escolhido de acordo com a corrente elétrica a ser utilizada:

·         0,76mm — 1 a 25A

·         1,32mm — 20 a 55ª

·         2,18mm — 40 a 100A

cilindros de gás

Os cilindros de gás constituem as fontes de gás ionizável e de gás de proteção; são providos de reguladores de pressão, de vazão e mangueiras. O controle da vazão do gás deve ser de grande precisão, pois esta é uma variável importante no processo.

sistema de controle

O sistema de controle existe para permitir o ajuste das variáveis de soldagem e o acionamento dos equipamentos e dos dispositivos auxiliares, quando se trata de soldagem mecanizada. Esses dispositivos são semelhantes aos usados na soldagem pelo processo TIG, isto é, alimentadores de arame, sistemas de movimento, de oscilação do arco, entre outros.

 

 Link Relacionado:

Soldagem – Coleção tecnológica SENAI – 1ª ed. 1997

SHARE
RELATED POSTS
Soldagem por resistência – Tipos de soldagem por resistência
Processo TIG – eletrodo
Revestimento por soldagem – Ligas para revestimento

Deixe seu comentário

*