Processos

Processo com arame tubular – Consumíveis

Os consumíveis utilizados na soldagem com arame tubular são o arame com fluxo e os gases.

 

                                  

formato do arame tubular

Os arames tubulares apresentam conformações internas que variam de acordo com o diâmetro. Segundo o Instituto Internacional de Soldagem (IIW) os formatos

internos podem ser descritos como: sem costura, de topo, sobreposto, dobra simples, dobra múltipla e dobra dupla.

aço seleção do arame tubular

A escolha do arame tubular para soldagem de carbono e de aço de baixa liga segue as normas AWS, que consideram fatores como soldagem monopasse ou multipasse, uso ou não de gás protetor complementar, tipo de corrente, posições de soldagem e propriedades mecânicas desejadas para o cordão de solda.

No caso de soldagem com arame autoprotegido, a própria fusão, a queima, a formação de escória e a vaporização dos elementos do fluxo são suficientes para proteger a poça de fusão e o arco elétrico, a exemplo do que se verifica na soldagem com eletrodos revestidos.

 

fluxo do arame tubular

O fluxo contido dentro do arame é responsável pela proteção do arco e do cordão de solda e pode ser complementado por um fluxo de gás fornecido por fonte externa. A capa externa do arame tubular é de aço de baixo teor de carbono e o fundente contém elementos formadores de escória, desoxidantes e estabilizadores do arco, deste modo, o arco torna-se estável, há poucos respingos e a escória formada resulta em bom acabamento superficial.

funções do fluxo

As funções do fluxo existente no arame são formar escória, proteger o arco voltaico da contaminação do ar e criar uma atmosfera mais ionizável. Outras funções do fluxo, além da proteção da poça de fusão, são de desoxidar e refinar o metal de solda e adicionar elementos de liga à solda. De maneira geral, pode-se dizer que a quantidade de fluxo existente dentro do arame varia entre 15 e 30% de seu peso.

 

tipos de fluxo do arame

Na soldagem com arame tubular, o modo de transferência é influenciado pelos arames autoprotegidos e pelos elementos que constituem os diversos tipos de fluxo contidos no arame. Os tipos de fluxo são os de composição metálica, de composição rutílica, de composição básica.

arame autoprotegido

O arame autoprotegido geralmente condiciona uma transferência por curto-circuito em que é possível formarem-se gotas distorcidas de grande dimensão na ponta do eletrodo. Esta formação pode ser reduzida por meio de alterações na composição do fluxo;em alguns casos, observa-se uma transferência secundária.

composição metálica

Os arames com fluxo de composição metálica são semelhantes aos arames sólidos; quando se usam correntes baixas, a transferência se dá por curto-circuito e com correntes mais elevadas, acontece por”spray”. A transferência com correntes elevadas proporciona altas taxas de deposição e cordões com boa forma.

composição rutílica

No caso de arame com fluxo de composição rutílica, a transferência é geralmente por “spray”. Uma parte do fluxo se funde e forma uma camada de escória na superfície da gota; uma outra parte se decompõe em gases de proteção e a parte restante é transferida para a poça de fusão, formando uma camada de escória protetora do cordão.

composição básica

A transferência proporcionada por arames básicos acontece por curto-circuito irregular, com corrente baixa; quando a corrente é mais elevada, o modo de transferência é globular, não axial. A parte do fluxo não fundida adquire a forma de um dedo projetado do arame em direção ao arco.

proteção da poça de fusão

Existem duas maneiras de proteger a poça de fusão no processo com arame tubular: uma é utilizar um arame autoprotegido, isto é, que contenha o tipo adequado de fluxo para proteger a poça de fusão contra a contaminação da atmosfera; a outra é utilizar arame tubular com uma proteção gasosa adicional. Em ambos os casos, o cordão de solda apresenta uma camada de escória que o cobre parcial ou totalmente.

Quando a proteção da poça de fusão é feita por gás, a fusão, a queima e a vaporização dos elementos do fluxo protegem grande parte da poça de fusão mas não a totalidade dela; assim, é necessário adicionar gás, como na soldagem MIG/MAG. O gás geralmente utilizado é C02, porém, arames especiais podem requerer misturas também especiais, que são determinadas pelo fabricante.

Link Relacionado:

Soldagem – Coleção tecnológica SENAI – 1ª ed. 1997

SHARE
RELATED POSTS
Processo com eletrodo revestido – Fundamentos
Revestimento por soldagem – Características
Soldagem por ultra-som

Deixe seu comentário

*