Fundamentos

Gases nobres

       Os gases nobres ou inertes pertencem à família 8A ou zero da tabela periódica. Apresentam a camada externa completa, com oito elétrons (ns2 np6), com exceção do hélio que contém apenas dois elétrons na sua única camada, também completa.

 Os gases nobres possuem eletronegatividade próxima de zero, baixa afinidade eletrônica e potenciais de ionização maiores que qualquer outro elemento da tabela periódica. Em consequência destas características, os gases nobres são estáveis quimicamente e existem como átomos simples e isolados.

As únicas forças que atuam entre eles são as fracas forças de Van der Waals, o que explica seus baixos pontos de fusão e ebulição.

Características gerais dos gases nobres

Símbolo do elemento

He

Ne

Ar

Kr

Xe

Rn

Nome do elemento

Hélio

Neônio

Argônio

Criptônio

Xenônio

Radônio

Ponto de fusão (°C)

-272.2

-248,7

-189.3

-157,4

-111.8

-71

Ponto de ebulição (°C)

-268,9

-246,0

-185,9

-153,2

-108,1

-61

Densidade (G/L)

0,179

0,90

1.78

3,73

5.89

9.73

Porcentagem em volume na atmosfera

5.2 x 10-4

1.82 x 1C-3

0,934

1,14 x 10-3

8.8 x IO-6

hélio

Por ser quimicamente inerte, o hélio é incombustível e, por ser mais leve que o ar, é usado em balões e dirigíveis em substituição ao perigoso hidrogênio. O hélio também é usado na refrigeração de geradores elétricos e reatores atômicos. Uma mistura de hélio e oxigênio é aplicada em equipamento para mergulhadores e, na Medicina, em inalações para asmáticos.

a atmosfera terrestre contém cerca de 5ppm (5 partes por milhão) em hélio

O hélio é a substância de menor ponto de ebulição conhecida e solidifica-se somente quando submetido a elevadas pressões (~ 25 atm).

argônio

O argônio foi isolado pela primeira vez em 1894, do ar atmosférico, por Sir William Ramsay e Sir Walter Rayleigh com um espectro de emissão diferente dos demais elementos conhecidos. Seu nome deriva do grego “árgon”, inativo, preguiçoso. O argônio é o gás nobre mais abundante do ar atmosférico e tem como aplicações proporcionar atmosfera inerte em tubos luminosos e lâmpadas elétricas comuns. Também é utilizado em certas reações químicas em substituição ao nitrogênio, que é reativo.

 Link Relacionado:

Soldagem – Coleção tecnológica SENAI – 1ª ed. 1997

SHARE
RELATED POSTS
Condução de calor
Radioatividade
Soldagem robotizada

Deixe seu comentário

*